Mostrando postagens com marcador #CasosReais. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #CasosReais. Mostrar todas as postagens

OVNI destrói um meteoro antes de atingir o solo

leia mais...

Gigantesco UFO quase colide com um jato acrobático em show aéreo no Chile (Registro)




Uma incrível filmagem mostra um UFO quase colidindo em um jato durante um show aéreo surgiu on-line. O clipe foi filmado em Puerto Varas, no Chile, enquanto o esquadrão de acrobacias fazia um show.
Um dos aviões militares Halcones da FACH (Força Aérea do Chile) fazia uma acrobacia, voando em linha reta para o céu (tipo um foguete), quando um enorme objeto, aparece do nada e quase tirando uma lasquinha do jato. Centenas de pessoas que estavam logo abaixo assistindo presenciaram o estranho acontecimento.


Rapidamente após o acontecimento bizarro, testemunhas inundaram as mídias sociais, e fóruns, para relatar que tinham visto um objeto voador não identificado, perto de um avião, durante uma apresentação.


As imagens foram postadas no YouTube e acumularam em poucos minutos quase 10 mil visualizações, com muitas pessoas especulando sobre o que poderia ser o tal objeto.


leia mais...

OVNI filmado em Volta Redonda Brasil (Registro)



Filme de suposto OVNI gravado na cidade de Volta Redonda no Brasil, surgiu no YouTube, a filmagem mostra um estranho objeto fazendo manobras, e parece estar sendo acompanhado por mais um outro. A filmagem que foi feita no dia 02 de março de 2016, já esta causando diversas discussões em sites e fóruns internacionais sobre o tema.
ovni-volta-redonda-1
Suposto OVNI luminoso


Na filmagem é possível ouvir um casal discutindo sobre o que poderia ser o objeto brilhante, a mulher acredita se tratar de uma sonda, e o homem já acha bem estranho o objeto, também é possível ver que o OVNI sobe ao céu indo de encontro com uma outra anomalia (ou nave). Abaixo a filmagem, e a conclusão sobre o que seria isso, fica a cargo de vocês leitores.


leia mais...

Canal do tempo transmite OVNIs ao vivo sem querer, e telespectadores ficam confusos

Um canal do tempo transmitiu ao vivo aos seus espectadores, misteriosos objetos sobrevoando os céus acima de um campo, deixando muitos teóricos curiosos.


As imagens bizarras a seguir são da estação de notícias Channel 6 que fica em Tulsa, Oklahoma, EUA, e deveriam apenas mostrar nuvens cinzentas sobre um campo. Mas no centro da tela, parece haver três misteriosos objetos pretos.
Um é visto voando para cima no céu, enquanto seus dois homólogos permanecem estacionários. À medida que atinge as nuvens, uma luz branca emerge da parte traseira do objeto em movimento.
A câmera começa a aumentar o zoom, mas o objeto desaparece misteriosamente, reaparecendo mais abaixo.


O estranho filme foi publicado no site de mídia social Reddit em (27 de abril), onde já foi visto mais de 34.000 vezes.
Um usuário do Reddit desconcertado escreveu: “Que merd… é essa? “
Outro sugeriu que eram naves alienígenas, acrescentando: “Eles provavelmente têm a habilidade de encobrimento. Talvez essa habilidade quebre ocasionalmente ou algo cause uma interferência e os faça visíveis”


Mas outros espectadores céticos alegaram que os objetos não eram nada mais do que insetos na tela.
leia mais...

Operação Voar Placa-Amplitude Investigação UFO no Brasil, Recentemente Desclassificado pela Força Aérea


Durante os anos de 1977 e 1978, a Placa de Operação foi construída em torno de 2.000 páginas com observações feitas pela Força Aérea Brasileira, 500 fotos e 16 horas de material de vídeo relevante com vários discos voadores e testemunhos de testemunhas oculares desconcertantes.

Devido ao regime militar autoritário naquela época, este relatório difícil de acreditar transitou apenas através das mãos de altos funcionários militares, mas depois de décadas de silêncio também se tornou disponível para o público em geral.
Foi no outono de 1977, quando começaram a espalhar-se rumores sobre a residência de alguns assentamentos marginais na bacia amazônica, literalmente invadidos por estranhos dispositivos voadores com a capacidade de submergir.
Os OVNIs vistos sobre a região da Baía de Marajó tinham várias formas e tamanhos, variando de discos e cilindros a pirâmides, e um relatório posterior chegou a mencionar algo sobre uma nave-mãe de 300 pés de comprimento (quase 100 metros) em forma de barril.
Os dispositivos estranhos mostraram um comportamento agressivo em relação aos pescadores e logo se espalharam para o resto dos moradores. Ninguém foi poupado pelos atacantes que eram predominantemente ativos durante a noite. Os inquilinos foram, na maior parte, capturados fora de guarda por um feixe de luz viva que os paralisava, seguido por outro feixe avermelhado presumivelmente usado para coletar amostras de sangue.
A história de uma mulher aterrorizada aparece no relatório recentemente desclassificado. Uma moradora da  Baía do Sol lembrou que, em 18 de outubro de 1977, uma poderosa luz inundou seu quarto de repente, e ela pôde ver uma luz verde que estava escaneando seu rosto e sentiu o ar se aquecer ao redor dela. Antes de perceber o que estava acontecendo, a luz ficou vermelha e um ser peculiar, " como um homem, vestindo algo parecido com a roupa de um motorista" estava apontando algo como uma arma para ela. Estava fervendo quente quando tocou seu peito causando grande dor como se "houvesse agulhas perfurando" a pele dela.
Pinching marcas semelhantes a picadas de mosquito foram esculpidas na pele das vítimas, e assim os atacantes foram apelidados de " chupa-chupas " devido à sua natureza misteriosa, vampírica . Os ataques noturnos prosseguiram durante meses, e os moradores de todas as aldeias piscatórias próximas foram afetados. Relatórios de dispositivos submersíveis puxando as pessoas para dentro da água também começaram a surgir. Foi então quando os militares destacaram uma unidade especial da Força Aérea liderada pelo capitão Uyrangê Bolívar Soares Nogueira de Hollanda Lima  para analisar de perto este assunto.
Hollanda era cético no início, mas durante a noite os UFOs revelariam-se, permitindo que o esquadrão da força aérea fizesse exame de retratos e estabelecesse um relatório. As aparências incomuns eram mais reais do que o capitão tinha suspeitado, e logo o transformou de um naysayer em um crente. Ele então reconheceu a atividade extra-planetária que estava acontecendo naquele canto da Amazônia e enviou um relatório expressando suas crenças recém-adquiridas, juntamente com algumas provas concretas, ao comandante da base em Belém.
O resultado fez com que Hollanda se encarregasse da mais ampla operação de OVNI na história escrita, abrangendo dezenas de especialistas de campo e fotógrafos que invadiram as aldeias afetadas na bacia amazônica em busca de respostas adicionais. Mais de 300 moradores foram entrevistados e numerosos esboços representando discos voadores foram coletados.
A abundância de material reunido nos primeiros meses de 1978 ofereceu às militares brasileiras as respostas desejadas. Por causa da ditadura militar, a Operação Placa foi imediatamente classificada e estudada pelos oficiais militares nos anos seguintes. Numerosos pesquisadores foram nomeados para resolver este enigma complexo, mas as conclusões finais nunca foram divulgadas ao público, nem mesmo após o relatório oficial ter sido desclassificado em 2004.
No entanto, podemos especular sobre este assunto intrigante e reconhecer a sua autenticidade e importância. Como posso ter certeza de tais alegações? Bem, algumas décadas depois do caso "chupa-chupa", o capitão Hollande decidiu compartilhar algumas idéias de que ele não estava autorizado a falar até então.
Durante uma entrevista com o editor do Brazilian UFO Magazine, A. J. Gevaerd , ele revelou nunca antes ouvido histórias dessa missão secreta que ele tinha sido designado para levar no final dos anos 70. O insight fornecido foi realmente incompreensível, pois representava uma verdadeira invasão de OVNIs na costa oriental do Brasil. Infelizmente, a divulgação heróica de Hollande pesou demais mesmo para o regime democrático recentemente instituído, e assim o ex-oficial da Força Aérea teve de ser silenciado.
Três meses tinham passado, e ele foi encontrado morto, estrangulado com seu próprio cinto. O trágico e misterioso desaparecimento de Hollande desencorajou todos os outros que tentavam rastrear a Operação Placa. Foi então entendido que tal informação é destinada a ficar longe de todos os olhos de oração, e aqueles que tentam quebrar esse equilíbrio de repente se tornam propensos a uma série de possíveis desfechos desfavoráveis.
Graças à coragem mostrada por Hollande, estamos agora livres para ler sobre seus encontros durante a Placa de Operação 1977-1978 na bacia amazônica. Não se esqueça que este era um evento real . Isso prova que os governos têm conhecimento de visitantes e visitas extraterrestres há décadas, mas por alguma razão eles não nos dizem nada sobre isso.


A entrevista de Hollande traduzida do espanhol
UFO Magazine - Se você criou um relatório, então ele nos diz que já houve alguns progressos na investigação?
Hollanda - Sim, quando cheguei de Brasília já tinha agentes que foram enviados para investigar ocorrências de OVNIs, porque isso já estava acontecendo tantas vezes na área de Colares, que pertence à cidade de Vigia, no litoral do Pará.
O prefeito da cidade enviou um oficial ao comandante da COMAR para informá-lo que os UFOs estavam incomodando a pesca muito. Alguns deles não podiam mais exercer a atividade pesqueira, por causa dos objetos navegados sob seus barcos. Às vezes, alguns objetos até mergulhavam perto deles, nos rios e no mar. A população local passou a noite fora. As pessoas preparavam fogueiras e usavam foguetes para tentar afugentar os invasores. Foi pânico que fez o prefeito entrar em contato com o comando do COMAR, pedindo instruções, eo brigadeiro-general ordenou que eu fosse investigar os avistamentos.
Revista OVNI - Houve algum momento uma participação ou instrução de Brasília para que a situação seja investigada?
Hollanda - Na época, não participou das discussões. Havia apenas um capitão e ele recebeu apenas ordens. Eu não fazia parte deste processo e não sei com certeza quanto às decisões que foram tomadas. Mas, pelo pouco que eu sei, a decisão estava nas mãos do comando do COMAR. Se tivesse envolvimento de Brasília, não sei.
UFO Magazine - Como você organizou a Operação Plate? Quantas seções, quantas pessoas, quantas missões, etc? E você organizou todas as tarefas?
Hollanda – Well, we were a team. I was at the head of it. We had five agents, all sergeants, that worked in the second division of COMAR. Moreover, we had informers on location, people in the places where the lights appeared, on the field,that helped them. At the time I divided the team in two or three different positions in the country. Clearly, we were constantly in contact with one another, through radio.
UFO Magazine – What was the immediate objective of Operation Plate? To observe flying disks, to photograph them and to contact them?
Hollanda - Na verdade, eu queria testar essa coisa exatamente e completamente. Queria explicá-lo e esclarecê-lo. Porque todo mundo falava nas luzes e objetos e até os tinha apelidado de nomes populares, como "Chupa-chupa" (Ed .: "chupar-chupar" ou "absorver-absorver"). E, as Forças Aéreas Brasileiras precisavam saber o que realmente estava acontecendo, já que isso ocorreu no espaço aéreo brasileiro. A responsabilidade de inquirir era nossa. Mas no início da Operação Placa, o que eu exatamente queria era uma confirmação dos eventos que estavam acontecendo.
UFO Magazine - O que motivou a população local a chamar as luzes "Cupa-chupa?"
Hollanda - Havia uma série de histórias de pessoas que haviam sido tocadas por um raio de luz. Todos julgaram que o efeito do raio era sugar o sangue deles. E, na verdade, verificamos alguns casos e descobrimos que vários deles, principalmente mulheres, tinham marcas mais estranhas no seio esquerdo, e havia duas punções de agulha ao redor de uma mancha marrom. Parecia queima de iodo. E aquelas pessoas tinham seu sangue sugado, em pequena quantidade, por aquelas luzes.
Por isso eles começaram a apelidá-los de "Chupa-chupa". Era sempre a mesma coisa: uma luz surgia do nada e seguia alguém, geralmente uma mulher, que foi atingida no peito esquerdo. Às vezes eram homens atingidos, com marcas nos braços e (pemas). Para dizer a verdade, em dez casos havia mais ou menos oito mulheres e dois homens.
UFO Magazine - E você registrou e verificou as marcas nas pessoas?
Hollanda - Sim, tudo foi verificado e analisado por médicos, que foram conosco para os locais no momento. Sinceramente, eu entrei nisto como o advogado do diabo. O que eu queria era exatamente desmistificar essa história e dizer ao meu comandante que essa coisa não existia, que era uma alucinação coletiva. Descobri que algumas coisas estavam sendo vistas, mas que não eram extraterrestres.
UFO Magazine - O que você acha que foi, então, que estava sendo visto e atacado as pessoas?
Hollanda - Eu não sei. Talvez a plumagem de uma coruja que reflete a luz da lua ou alguma outra coisa deste tipo. Pensei que poderia ser extraterrestre, mas eu não pensava assim. I catalãs iam para verificar que esta coisa foi realmente acontecendo. Passei pelo menos dois meses para obter uma resposta para o meu comandante, quando voltei da missão, não descobri nada.
O primeiro dos dois meses da Operação Placa, eu não vi nada que pudesse mudar minha opinião. Em um ponto que passamos uma semana nas ervas daninhas e voltamos somente no domingo, nós vivemos um pouco como uma família. Em cada relatório, meu comandante perguntou:
"Você viu alguma coisa?" E minha resposta foi sempre: "Nós vimos luzes estranhas, pelo menos, mas nada extraterrestre". Na verdade, nós vimos luzes que nunca piscou, que passou em uma baixa altitude, mas nada muito estranho.
UFO Magazine - Isso foi durante a noite. O que aconteceu durante o dia? Houve outras atividades durante a Operação Placa?
Hollanda - Sim, nós tínhamos outras coisas para fazer, que faziam parte dos objetivos da operação. Fizemos entrevistas com pessoas que haviam tido experiências, preparamos os lugares para passar a noite e buscamos lugares "quentes" para relógios noturnos. Quando descobrimos que algo apareceu em tal lugar, nós (...). Fizemos um levantamento da situação, e sempre registramos os nomes das pessoas envolvidas em uma forma adequada.
UFO Magazine - Que procedimento ou metodologia foi usado para coletar informações?
Hollanda - Nós sempre registramos o nome da pessoa que teve a experiência, o local onde ela ocorreu, a data e hora etc. Fizemos uma descrição de cada fato que ocorreu na mesma localidade. Assim, se três casos em uma noite aconteceu, as pessoas ouviram três testemunhas. Algumas das descrições eram comuns, a outra tinha mais estranheza. Às vezes recebemos histórias de coisas que não conseguimos provar autênticas, como a desmaterialização de paredes inteiras ou telhados, por exemplo.
UFO Magazine - O que você quer dizer? Você tem algum exemplo para ilustrar este tipo de eventos?
Hollanda - Sim. A primeira senhora que entrevistei em Colares, por exemplo, me contou coisas absurdas. Chegamos pelo helicóptero de Belém só para ouvir uma mulher que tinha sido atacada pelo Chupa-Chupa. Nós realmente vimos que ela tinha uma marca no peito esquerdo. Era marrom, como se fosse uma queima, e tinha uma série de buracos na linha. Quando conversamos, disse-me que uma criança estava sentada em uma rede tentando colocar uma criança a dormir quando, de repente, o ambiente começou a mudar de temperatura. Achou bastante agradável, mas não podia imaginar o que aconteceria a seguir. Então, deitada na rede, viu que as telhas tinham começado a ser coloridas, em cor de carvão vivo. Depois disso, eles mudaram para ser transparente e ela podia ver o céu através do telhado. Era como se as telhas tivessem se transformado em vidro. Ela viu o céu e até mesmo as estrelas.
UFO Magazine - Foram histórias estranhas como esta muito comum durante a Operação Plate?
Hollanda - Muito comum, e me assustou muito, porque eu nunca tinha ouvido alguém falar sobre essas coisas. Quando eu ouvi falar de tais casos, eu estava preocupado e ainda mais curioso. Essas pessoas pareciam ser sinceras. Por exemplo, através do buraco que a mulher descreveu, viu uma luz verde brilhando no céu. A senhora estava meio dormindo, até que, depois disso, um raio vermelho que deixou o OVNI atingiu seu peito esquerdo. Era estranho que na maioria dos casos as pessoas fossem atingidas no lado esquerdo. Havia mais: exatamente no momento em que estávamos falando disto, uma menina veio até nós e disse:
"Olhe para a coisa que está passando acima." Quando eu saí de casa, eu vi a luz que a jovem estava apontando, voando a uma velocidade razoável, embora o céu estava suficientemente coberto. Não foi muito rápido e piscou como ele estava indo para o Norte. Parecia um satélite, exceto que esta luz voltou a sua rota - e os satélites não fazem isso!
Logo depois disso, havia algo ainda mais estranho. Mas eu não poderia exatamente dizer se era um navio extraterrestre. By the way, eu não estava lá para cobrir qualquer coisa que parecia ser um disco voador.
UFO Magazine - Você usou algum tipo de equipamento de radar que poderia confirmar ou seguir esses fenômenos?
Hollanda - Não. Todos os aeroportos têm radares fixos. Não carregamos nada deste tipo.
UFO Magazine - Foram os ataques que estavam acontecendo com certa freqüência comunicada ao Governo, às autoridades estaduais ou municipais?
Hollanda - Sim, claramente. Alguns médicos do Ministério da Saúde Pública do Pará foram enviados pelo governo para examinar o povo. Eles analisaram as peles queimadas e tomaram as declarações dos pacientes, mas eles não fizeram nada mais do que isso - nunca. Algumas vítimas se recuperaram facilmente. Outros estavam muito aterrorizados. Alguns foram náuseas, ou adormeceu por dias. Um cidadão, uma vez veio me procurar e disse que ao lado de sua casa havia aparecido uma luz que focaliza um raio brilhante em sua direção. Ele me disse que ele estava tão apavorado que ele correu para dentro de sua casa, pegou uma arma e apontou para a luz. Então raios mais fortes vieram e fizeram com que ele caísse. Os pobres passaram duas semanas com problemas de locomoção (Ed .: Porque ele caiu), mas não tiveram nada mais sério.
Ele não foi atingido por nada sólido, como um tiro, por exemplo. Parece que a natureza desta luz foi a de uma energia muito forte que deixou as pessoas paralisadas. Acredito que as autoridades federais foram informadas deste tipo de ataque a seres humanos que estavam acontecendo na região, mas não tenho conhecimento de nenhum teste. Só recebi ordens do meu comandante, nada mais.
UFO Magazine - Se essas deposições foram coletadas desde o início da Operação Placa, quando foram os primeiros encontros próximos com UFOS naquela região começar?
Hollanda - Foi suficientemente significativo. Certa noite, a nossa equipa procurou a Ilha do Mosqueiro, num local chamado Bahia do Sol (Editor: um conhecido balneário de Belém, perto de Colares), por isso tivemos informações de que estas coisas estavam a acontecer há. E como estávamos investigando todos e qualquer indicação de ocorrências ufológicas, nós nos instalamos no lugar. Nesse período, os agentes que tiveram mais tempo do que eu para dedicar a esta operação - desde "peguei o trem quando já estava começando" -, eles me questionaram o tempo todo, depois de verem algumas luzes, como se eu já estivesse Convencidos da existência do fenômeno. Como eu ainda estava indeciso, eles me disseram: "Mas capitão, você ainda não acredita?" Eu respondi que não estava, Que precisávamos de mais testes para acreditar que essas coisas eram discos voadores. Eu não tinha visto nenhum navio naquele tempo. Somente luz, muitas e variadas. Eu ainda não estava satisfeito.


leia mais...

AVISTAMENTO: Ufólogos detectam nave extraterrestre com luz intermitente nos céus da França

A luz clara e o extraordinário objeto voador capturados no vídeo foram classificados pelos ufólogos como um OVNI gigante.

Estes acreditam que os objetos luminosos vistos nos céus da França, China e Austrália podem ser uma nave espacial extraterrestre.
O vídeo filmado na França, possivelmente perto de Paris, mostra objetos luminosos no céu, comunica o The Mirror.
Objetos similares foram vistos acima de um aeroporto na China.
Segundo a ABC News, isso levou até ao fechamento temporário do  aeroporto. Imagens similares foram registradas nos céus da Austrália.
leia mais...

CASOS REAIS: Comprovado, ABDUÇÃO, Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

Kathie Davis; Abdução, filho hibrido e provas físicas

O caso Kathie Davis é um dos mais conhecidos casos de abdução da Ufologia Mundial. A protagonista do caso chama-se Debbie Thomas mas inicialmente usou o pseudônimo Kathie Davis visando manter a privacidade de sua família.

Ela passou por várias experiências de abdução, desde a infância, que não eram recordadas a nível consciente. Somente com o uso de hipnose regressiva ela recordou em detalhes as experiências pelas quais passou. Ela decidiu explorar sua experiência quando, em 30 de junho de 1983, ocorre o surgimento de uma marca em seu quintal associado à um estranho fenômeno luminoso e à um período de tempo perdido.
image
Intrigada, ela escreveu ao ufólogo Budd Hopkins relatando suas experiências. Kathie havia lido o livro Missing Time, de Budd Hopkins, no qual ele relatava vários casos de abdução por tripulantes de OVNIs e percebeu que tinha vários indícios de que poderia ser também uma abduzida inconsciente.
Budd iniciou uma pesquisa exaustiva em torno do caso, que posteriormente gerou um livro, intitulado Intruders (Intrusos – Um estudo sobre raptos de pessoas por seres alienígenas). O livro, por sua vez, originou um filme para a televisão, com o mesmo nome.
A marca no quintal de Kathie surgiu em 30 de junho de 1983. Poucos meses depois, em outubro, Kathie esteve em Nova York para iniciar as pesquisas em torno de seu caso com o auxílio de hipnose regressiva.
O primeiro episódio a ser investigado foi justamente a noite de 30 de junho de 1983. Através de hipnose Kathie recordou a observação de estranhas luzes no quintal. Depois disso ela saiu para ir à casa de uma amiga onde trabalhariam (na época faziam roupas para as amigas) durante a noite. Mais tarde, a mãe de Kathie liga solicitando que a filha volte para casa a fim de verificar o quintal pois havia uma estranha luminosidade lá fora. Kathie voltou à sua casa, verificou se tudo estava em ordem e posteriormente retornou para a casa de sua amiga.
Kathie não levaria mais que 20 minutos, no entanto levou mais de uma hora. Havia um período de aproximadamente 1 hora da qual ela nada lembrava. Ao chegar na casa da amiga as duas resolvem voltar para a casa de Kathie para nadar na piscina. Ao andar pelo quintal sentem que o mesmo está muito quente. Ao entrar na piscina, Kathia, a amiga e a filha desta passam mal. Nas três amigas a visão fica turva, elas sentem náuseas, dores de cabeça, tonturas, o rosto fica inchado. Estes são sintomas típicos de radiação.
No dia seguinte a família de Kathie constatou a presença da marca no quintal e logo perceberam estranhos efeitos. O cachorro da família mudou seu comportamento, recusando-se a passar pela marca. Pouco tempo depois, constatou-se que o animal começou a perder muitos pêlos e ele adoeceu.
Dentro da marca circular, o solo mostrou-se duro e estéril. Insetos não adentravam a marca e poucos dias depois, a grama começa a morrer evidenciando ainda mais o formato circular da mesma. Curiosamente, durante o inverno o gelo derreteu com muita facilidade na parte interna e acumulou-se mais na parte externa. Embora essas características ainda fossem evidentes, mesmo 15 anos após o caso, ervas arroxeadas começaram a crescer no local. Curiosamente, a partir do surgimento da marca no quintal da família, tomates plantados próximos ao local se apresentavam maiores e mais ácidos do que outros plantados em outros locais da propriedade.

image

continue lendo na fonte: http://www.outromundo.net/kathie-davis-abducao-filho-hibrido-e-provas-fisicas/
leia mais...

Mais Populares

 
Copyright © 2014 ALERTA OVNIs UFOs • All Rights Reserved.
Template Design by ORIGINAIS OADM • Powered by Blogger
back to top